Necessita de Flash Player

  www.lanceiros.web.pt - a 1ª pagina da Policia do Exercito na Web - Morte ou Gloria

Brasão de Armas
 
 
Descrição Heráldica do Brasão de Armas da Unidade
 
Escudo - De ouro, duas lanças, com bandeiras de duas pontas, tudo de vermelho, passadas em aspas; brocarte sobre o cruzamento uma caveira de negro com as cavidades orbitais, nasal e dentes de prata, tendo sotoposto duas tíbias passadas em aspas, também em negro.

Elmo
- Militar de prata, forrado de vermelho, a três quartos para a dextra.

Correia - De vermelho, perfilada de vermelho.

Paquite e Virol
- Pescoço e cabeça de cavalo, de negro, animado e narinas de vermelho.

Divisa
- Num listel branco, ondulado sotoposto ao escudo, em letras negras maiúsculas, de estilo "Elziver": MORTE OU GLÓRIA.
 
(Para compreender em toda a dimensão o significado da divisa "MORTE OU GLÓRIA", teremos que a enquadrar no seu conteúdo histórico, remontando à Guerra Civil do século passado em que se bateram absolutistas - miguelistas ou realistas - e liberais - constitucionalistas. A ocupação do trono por D. Miguel, o regresso ao sistema do governo absolutista e a impiedosa perseguição aos elementos liberais que desejavam uma monarquia constitucional, vai lançar o País numa guerra civil. Em 1831, D. Pedro, Imperador do Brasil, pai da jovem Rainha espoliada nos seus direitos à coroa, encorajado pelos exilados de Londres e Paris vai impulsionar a libertação do País do jugo absolutista. É nos meados do Verão de 1832 que se iniciam as hostilidades, ficando, em breve decidida a organização de um Regimento de Cavalaria em Inglaterra para apoiar a causa da jovem Rainha. É assim que no Inverno de 1832, o Coronel Anthony Bacon é contactado pelos recrutadores de D. Pedro, oferecendo-lhe o posto de Coronel do Exército Liberal e o encargo de formar um Regimento de Lanceiros com o efectivo de 400 homens. Bacon aceitou de bom grado esta ideia, iniciando de imediato o recrutamento, aceitando homens das mais variadas partes da Europa. Com a criação do Regimento de Lanceiros da Rainha - Ordem do Dia n.º 46, de 1833, dada no Quartel General Imperial da sitiada cidade do Porto, o Coronel Bacon assumiu o comando do Regimento que estruturou à imagem e semelhança do seu antigo Regimento, o 17th Lancers, dando-lhe a mesma divisa "MORTE OU GLÓRIA". Tema por demais apropriado pois tinha um duplo significado para aqueles que sob ele lutaram, associando a morte dos Lanceiros ao nome da jovem Rainha, Dona Maria da Glória).

Simbologia
- As lanças em cruz sotopostas à caveira e às tíbias, consubstanciam a paradigma de clara vitória da vida sobre a morte. O ouro do campo atribui a aura triunfal ao herói, a sua própria transfiguração infinita e eterna.

-- Constitui com o timbre, uma sigla que expressa a parenidade da força do espírito sobre a matéria: O homem na sua harmonosa união mística com o impetuoso cavalo.

-- Tal simbologia confere ao Regimento de Lanceiros Nº2, um perfil que os seus cavaleiros, em quase trezentos anos, os seus lanceiros desde 1833, traçaram, merecendo assim a sua legenda: "MORTE OU Glória", que é a sua divisa actual.

-- Sublimar-se-à heráldicamente, aqueles significados:


- Com o ouro
- a fé, nobreza e a força;

- O vermelho
- o valor, a vitória, a audácia e a grandeza da alma;

- Pelo Negro
- a firmeza e a virtude;

- Na prata
- estará o sentido da esperança.
 

 Pagina elaborada para ser visualizada em Internet Explore 5 (ou superior) na Resolução de 1024/768, sendo necessário Flash Player

Esta pagina não tem fins lucrativos, apenas pretende divulgar o gosto e orgulho de um dia ter pertencido ao Regimento de Lanceiros Nº2

Copyright © 2003 - Bolacha - Todos os direitos reservados - Proibida a copia total e/ou integral, sem consentimento do Webmaster.